CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  

Um dos principais programas que promovem assistência social do país. O programa atende cerca de 14,6 milhões de famílias brasileiras, e ainda é um tema muito debatido em campanhas políticas, saiba como e o que o bolsa família interfere no cenário atual do nosso país.

 O que é o bolsa família?

  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  

Um programa de transferência de renda, onde as famílias que se encontram na pobreza ou extrema pobreza, recebem um auxílio que é pago em dinheiro pelo governo, famílias essas que devem estar cumprindo algumas regras. O foco desse programa é atender justamente essas famílias, cuja a renda per capita gira em torno de R$89 a R$178, sendo considerados em situação de vulnerabilidade, em pobreza extrema, inscritos então no programa social e comprovado a motivação, essa família passará a receber o auxílio, podendo o valor varias conforme for a configuração familiar.

Os requisitos são: 

  • Crianças e os adolescentes entre 6 e 17 anos, que estiverem frequentando a escola regularmente;
  • Acompanhamento de saúde das gestantes e lactantes;
  • Crianças com vacinação em dia. 

O objetivo maior do programa social é combater a fome, e promover uma fonte de renda e de certa forma uma autonomia as famílias, e ir de frente ao combate a pobreza, e facilitar que as famílias tenham acesso a serviços públicos, que a família tenha enfiam acesso aos seus direitos sociais que devem ser assegurados segundo a Constituição Federal. 

O programa é estruturado e dirigido pelo Ministério do Desenvolvimento Social, sendo considerado um avanço essa coordenação estar centralizada, pois não faz muito tempo que o programa ficava em responsabilidade de um ministério diferente. 

Quem criou o programa?

Uma dúvida com respostas cercadas de controversa, afinal sempre será questão de interesse da maioria dos partidos do país, já que o Bolsa Família sempre foi muito popular, sendo que o programa é a somatória de dois governos diferentes, o governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), foi durante seu mandato que foi criado quatro programas sociais: Bolsa Escola, Bolsa Alimentação, Auxílio-Gás e Cartão Alimentação, logo com a alternância de governo e chegada do governo Lula, foram criados mais programas sociais, chamado de Programa Nacional de Acesso à Alimentação (PNAA) em 2003, e acabou por unificar os programas que já estavam em andamento os que acabará de criar em seu governo, transformando assim em um grande programa social de transferência de renda, que até os dias de hoje é referência e recebeu diversos prêmios e teve seu reconhecimento por ter combatido diretamente a fome e tirado o Brasil do mapa da fome.